Streets of Rage - Curiosidades polemicas da franquia exclusiva pra mega drive

Streets of Rage - Curiosidades polemicas da franquia exclusiva pra mega drive

Street of Rage - Curiosidades polemicas da franquia exclusiva pra mega drive

Todo o conteúdo da página está nesse video a seguir, assistam que tá muito da hora!


Streets of Rage é uma das séries de Beat’em ups mais cultuadas do mundo dos games. Exclusiva do Mega Drive, seus jogos consistiam em dar sopapos nos malfeitores em bares noturnos. Foi um dos poucos jogos a explorar boa parte do potencial do Mega Drive, principalmente no quesito áudio. Se você é fã da série de “Briga de Rua”, confira conosco as curiosidades mais interessantes desse clássico.

O processo de localização de Streets of Rage não aconteceu sem pequenas mudanças. No Japão, o nome do jogo é outro, Bare Knuckle: Ikari no Tekken . Mas a versão que sofreu mais mudanças foi a terceira.

Em Bare Knuckle 3, a abertura em que Axl Stone soca a tela desapareceu na versão ocidental do jogo. No final feliz com Blaze, apenas um simples desenho sem animação sofreu, obviamente por ser considerado muito sensual, alguns contornos extras para a beleza da moça. Porém, isso não é nada comparado ao que você verá a seguir.

Streets of Rage disputa com Final Fight o título de melhor “Briga de Rua” para consoles na geração 16bits. Ambos os jogos tinham rixa até mesmo quando o assunto era polêmica. Assim como a série da Capcom, a franquia da SEGA também foi rodeada de polêmicas e decisões para evitar censura.

A terceira versão do jogo sofreu muitas modificações. Personagens femininas tiveram suas roupas “aumentadas” na versão ocidental do jogo. Mas se você acha que Posion era polêmica, é por que você não conheceu Ash. O sub-chefe do primeiro cenário usava roupas desconcertantes, e fazia várias poses com conotação homossexual. Ele foi retirado da versão americana, mas era possível controlá-lo através de um cartucho com cheats.

No primeiro Streets of Rage há alguns furos no enredo do jogo. Segundo o game, os personagens são ex-policiais que resolveram combater o crime com as próprias mãos. Acontece que a idade deles, que segundo o jogo, gira em torno de 21 a 23 anos, eles nem tiveram tempo de exercer a profissão.

Outra curiosidade relacionada a polícia é o uso da mesma como reforço. No primeiro Streets of Rage, ao pressionar o botão A, a ação congela e um carro da polícia aparece para mandar bala nos inimigos. Um “power-up” inusitado que pouco se viu no mundo dos games.

O primeiro Streets of Rage já guardava algumas inovações para o gênero “beat’em up”. Ao chegar no último chefe, no modo para dois jogadores, o vilão principal da série Mr. X pergunta: “Would you consider becoming my right-hand man?” (Você gostaria de ser meu braço-direito?).


Se ambos os jogadores responderem sim, lutarão até a morte e não enfrentarão o Mr.X. Esse é o modo de acessar o final “ruim”, no qual um dos jogadores assume o sindicato dos bandidos. Algo inovador para época em que os jogos de “beat’em up” basicamente só possuíam um final. Outros jogos da franquia também tiveram opções de finais diferentes.


Todo o conteúdo da página está nesse video acima, assista que tá muito da hora!

2 comentários:

  1. Oi. O Streets of Rage não era exclusivamente para o Megadrive, saiu para Master System e Game Gear também.

    ResponderExcluir
  2. Oi. O Streets of Rage não era exclusivamente para o Megadrive, saiu para Master System e Game Gear também.

    ResponderExcluir