Metal Slug um clássico que ficou para história!

Metal Slug um clássico que ficou para história!

Metal Slug um clássico que ficou para história!

Em meados dos anos 90, mais exatamente em 1996, surgia um novo jogo do tio come fichas para perdermos totalmente nosso dinheiro nos fliperamas.

Metal Slug é uma das séries mais icônicas dos tempos, especialmente no Brasil onde os gabinetes da SNK foram incrivelmente populares em bares e o troco do pão nunca voltava em segurança para casa. Assim como as histórias que surgiram naquela época, existem muitas curiosidades e polêmicas  envolvendo a franquia que fez muito sucesso nas antigas e ainda faz ate os dias de hoje. E algumas dessas curiosidades você vê aqui né, no nostalgia dos games. Bora assistir o video abaixo que ficou show de bola!




Lá nas antigas Metal slug costumava comer muitas fichas nos árcades já que eram poucas pessoas que tinham um neo geo em casa. E os fliperamas de bar foram os que apresentaram esse clássico dos anos 90 para a maioria do jogadores naquela época.
Para quem não sabe, Metal Slug é um jogo de plataforma, do tipo Run and Gun. Literalmente corre e atira, na verdade você atira muito mais do que corre, esse jogo é puro tiroteio do começo ao fim!

A história desse clássico conta que um terrível ditador, chamado no jogo de General Morden, junto com sua tropa de soldados rebeldes, iniciaram um golpe de estado, onde a maioria dos governos influentes falharam em tentar detê-lo. Em sua última investida, Morden descobriu um veículo perfeito para usar em sua empreitada: o Slug SV-001, ou, como é conhecido, Metal Slug. Como resposta aos ataques de Morden, a Peregrine Falcon Strike Force enviou seus dois melhores soldados para o local com a missão de destruir todo e qualquer Metal Slug que encontrarem, a fim de deter os planos maléficos do General Morden.

Uma das coisas que mais chama atenção em Metal Slug, obviamente, é o seu visual Cartunesco. O jogo brilha no melhor estilo 2D, onde cada detalhe é minuciosamente representado e animado de forma espantosa até pros dias de hoje. Dá pra ver seu personagem, tirar a arma e trocar o pente enquanto anda e atira pra todo lado. Ou ainda quando ele respira ofegante, no cenário de neve! De quando ele tira um facão ao ficar sem balas, quando se abaixa ao arremessar uma granada e até do medo deles ao ver você surgindo com uma metralhadora! E isso pra ficar apenas nos inimigos comuns, pois os chefes da série, principalmente nos jogos seguintes, chamam mais atenção ainda.

A jogabilidade dele é simples. Três botões apenas: saltar, atirar e jogar granadas! Seu personagem pode atirar em oito direções, podendo atingir inimigos de longe e embaixo, mesmo com a simples pistolinha inicial. Além disso, você pode ainda atacar com uma faca inimigos que estejam muito próximos, o que denota um especial cuidado da produtora em detalhes pequenos, mas que fizeram a diferença de Metal Slug em relação a outros jogos do mesmo estilo.

Durante a jogatina, é necessário salvar os reféns, chamados no jogo de "prisioneiros de guerra", ou POWs, mas que com certeza você chamava e deve chamar ainda hoje de mendigos. E não posso te culpar porque eu também chamo ate hoje !

Mas devemos salva-los no game pois os mesmos deixam desde armas até itens que dão pontos, o que resultam em vidas extras. O estilo visual desses carinhas, meio parecidos com um Chuck Norris cabeludo, é uma das marcas registradas de toda a série! Entre as armas disponíveis, estão a metralhadora (heavy machine gun!), a rocket laucher, também conhecido como lança foguetes e a shotgun, cada uma com um resultado diferente e que pede uma estratégia de uso adequada para cada momento.

Uma curiosidades sobre esses Mendigos é que de vez em quando eles soltam haduken e shoriuken igual o ryu e Ken as series street figther. È verdade.
Èeee, não oficialmente, Enquanto Na maioria das vezes eles apenas oferecem armas e itens como uma forma de recompensa, porém um deles em Metal Slug 2 passa a acompanhar os jogadores com golpes que se assemelham ao Hadouken e ao chute giratório de Ryu e Ken em Street Fighter 2.

Além de atirar em tudo que se move e salvar os prisioneiros, o cenário de Metal Slug é quase todo destrutível! Muitas partes com casas, por exemplo, nos permite subir nas janelas ou explodir edifícios inteiros, que revelam desde itens até prisioneiros e inimigos escondidos. Devido à natureza frenética do game, passar desapercebido por detalhes é comum numa primeira jogada. Mas, se parar pra analisar cada elemento dos diversos cenários do jogo, notarão coisas inusitadas como bebês engatinhando, corpos de soldados mortos alguns easter eggs como por exemplo:

Logo na primeira fase de Metal Slug 2 ou X, na parte em que você enfrenta um chefe, há três faixas com dizeres árabes estendidas pelas ruas. A primeira não quer dizer coisa nenhuma, porém a segunda e a terceira têm escritas bem loucas e inusitadas, a primeira diz, “Eu estou com diarreia” e a segunda “Eu preciso de um remédio”, isso provavelmente uma piada interna entre os desenvolvedores que literalmente cagaram um easter egg no game.

Talvez um dos maiores atrativos do jogo seja o fator que dá nome ao game o tal do Slug. O tanque que passa por cima de tudo, atira pra todo lado e ainda pode saltar, geralmente é tido como símbolo de toda a série e está presente em todos os jogos.

Neste primeiro, temos apenas o tanque Metal Slug SV-001, simples e eficaz, mas nos jogos seguintes incluíram uma cacetada de novos veículos, alguns bem bacanas como o avião SVF-07V Flyer, o Level Armor (uma armadura de guerra) e o Slug Giant, que aparece no Metal Slug 7 para Nintendo DS. Quase todos eles tem um limite de energia e, antes de explodir, emitem um aviso para que o jogador se lance do veículo para salvar sua vida.

O som do game não fica atrás: a qualidade sonora inspirada em temas e batidas militares, e suas músicas temáticas, dão o tempero final à obra.
Bom, tanto do NeoGeo quanto dos arcades. Metal Slug é um jogo que precisa ser jogado de tempos em tempos, seja pra relembrar suas fases, suas músicas ou pra simplesmente tentar se superar terminando com uma ficha!

É um daqueles games atemporais que raramente aparecem por ai. Apesar da produtora ter feito inúmeras continuações até abusando um pouco da fama que o jogo, lançando várias versões para inúmeros consoles, portáteis, em coletâneas diversas e, inclusive, até pra celulares. nem isso tira o brilho do jogo original.
Que na minha humilde opinião é fodástico! E sempre vale muito a pena ser jogado e relembrado ate os dias de hoje.


E falando em relembrar, eu vou deixar uma sugestão de vídeos aqui pra você relembrar os beat ups clássicos dos anos 90. E é só clicar no play ai curtir esse vídeo nostálgico. Vlw galera por acompanhar o nostalgia dos games e ate a próxima!


0 comentários:

Postar um comentário